Com 25.924 novos negócios, Goiás supera o acumulado de 60 anos de consolidação de novos CNPJs

A abertura de empresas em Goiás em 2021 já supera o montante de CNPJs abertos no acumulado de 1941 a 2003. Ao todo foram consolidados 19.003 no período das seis décadas, enquanto apenas este ano, de janeiro a setembro, 25.924 novas empresas foram abertas. As informações da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg) revelamContinuar lendo “Com 25.924 novos negócios, Goiás supera o acumulado de 60 anos de consolidação de novos CNPJs”

Setor de Serviços cresce 3,3% em julho, aponta Índice de Serviços

Considerado o protagonista da manutenção da economia, o setor de serviços obteve um crescimento de 3,3% em julho deste ano, o que levou a um aumento no volume, na receita e na mão de obra de serviços empresariais no Brasil. Os dados foram divulgados pelo Índice de Serviços, ISe, criado pela Frente Parlamentar do SetorContinuar lendo “Setor de Serviços cresce 3,3% em julho, aponta Índice de Serviços”

Sete dos 10 principais produtos goianos têm alta nas exportações nos nove meses de 2021

Sete dos dez principais produtos goianos exportados aumentaram as vendas no acumulado dos três primeiros trimestres do ano, na comparação com o mesmo período de 2020, revelam dados divulgados pelo Ministério da Economia. As exportações garantiram para o Estado o montante de US$ 7,35 bilhões frente a US$ 3,69 bilhões em importações, o que asseguraContinuar lendo “Sete dos 10 principais produtos goianos têm alta nas exportações nos nove meses de 2021”

Combinação de altas do IOF, Selic e da inflação encarece crédito, trava economia e finanças de empresas

Setembro termina com uma combinação de fatores que tornam ainda mais caro o acesso ao crédito – ferramenta fundamental para a retomada de investimentos e o crescimento econômico. Primeiro, foi o aumento da alíquota do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). Em seguida, a elevação da taxa básica de juros da economia (a Selic). Por fim,Continuar lendo “Combinação de altas do IOF, Selic e da inflação encarece crédito, trava economia e finanças de empresas”

Taxa de desemprego entre os mais pobres é de 36%

Estudos divulgados pela FGV Social apontam que a taxa de desemprego da metade mais pobre dos brasileiros é de aproximadamente 36%. A pesquisa indicou que tal índice passou de 26,55% para 35,98% entre a população mais pobre, um aumento de dez pontos durante a pandemia, enquanto entre a população mais rica, a taxa aumentou deContinuar lendo “Taxa de desemprego entre os mais pobres é de 36%”

Confiança da indústria recua em setembro, aponta CNI

Após quatro altas consecutivas, o Índice de Confiança do Empresário Industrial (ICEI) recuou 5,2 pontos em setembro, para a marca de 58 pontos. Apesar da queda, o indicador medido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostra que os empresários seguem confiantes, acima da média histórica de 54 prontos, embora o otimismo esteja menos intenso e menos disseminado. O índiceContinuar lendo “Confiança da indústria recua em setembro, aponta CNI”

Pesquisa aponta que 70% dos brasileiros trocariam o fornecedor atual de energia elétrica

A ABRACEEL – Associação Brasileira dos Comercializadores de Energia, que  questiona os consumidores brasileiros sobre o que eles fariam na hipótese de terem opção de troca de fornecedor de energia elétrica em um ambiente de livre escolha para todos os perfis de consumo, traz informações importantes para o futuro deste nicho da nossa economia.  AContinuar lendo “Pesquisa aponta que 70% dos brasileiros trocariam o fornecedor atual de energia elétrica”

Pesquisa revela que quase 70% dos brasileiros têm intenção de usar o Pix como meio de pagamento no dia a dia

Farmácias, supermercados, padarias e serviços médicos. Esses são os lugares onde quase 70% dos brasileiros têm a intenção de fazer seus pagamentos via Pix. O dado mostra que o potencial de uso para o meio de pagamento disponível 24 horas por dia, sete dias por semana, é massivo no país. A descoberta vem de umContinuar lendo “Pesquisa revela que quase 70% dos brasileiros têm intenção de usar o Pix como meio de pagamento no dia a dia”

Com China comprando menos do Brasil, desempenho negativo do agro pode prosseguir

O PIB brasileiro do segundo trimestre do ano recuou em 0,1%, de acordo com dados divulgados hoje pelo IBGE. O agronegócio, que apresentou bom desempenho em um cenário de desvalorização do dólar nos últimos trimestres, cedeu à conjuntura negativa e não repetiu as altas anteriores, apresentando queda de 2,8% — a maior baixa entre osContinuar lendo “Com China comprando menos do Brasil, desempenho negativo do agro pode prosseguir”