Mulheres buscam terapia três vezes mais que homens

Da Redação

A busca por terapia durante e após a pandemia cresceu de forma expressiva no Brasil. De acordo com um levantamento feito pela Telavita, clínica digital de saúde mental, a procura por atendimento aumentou 400% em 2021, em relação ao ano anterior. Além da subida expressiva na procura por sessões, outro dado extraído do levantamento chamou a atenção. As mulheres buscam terapia três vezes mais que os homens. A análise foi feita com base em 50 mil sessões realizadas pela plataforma, que possui o maior número de vidas cobertas do mercado brasileiro. 

“As mulheres suportam grandes pressões na rotina, com um acúmulo de funções. O trabalho, a vida familiar, as questões financeiras e até mesmo violência de gênero, em alguns casos, somado ao panorama que vivemos nos últimos anos, desencadeou uma procura mais frequente por acompanhamento”, avalia Milene Rosenthal, psicóloga e co-fundadora da Telavita. 

Após a pandemia, novos paradigmas foram traçados, as rotinas foram alteradas e isso tudo despertou a necessidade de falar dos problemas vivenciados e, sobretudo, aprender a enfrentá-los. 

“É extremamente importante para todos buscar acompanhamento. Ficou claro que as mulheres passaram a se preocupar mais com o seu bem-estar. Além disso, muitas vezes é mais fácil para nós compartilharmos o que nos aflige. Os homens tendem a ser mais fechados. Também há uma tendência das mulheres detectarem com mais clareza a necessidade da terapia, devido a fatores como depressão e ansiedade”, aponta. 

Terapia online solucionou falta de tempo

Antes da implantação da terapia online, conciliar a rotina estressante com as sessões de tratamento dificultava o acesso dos pacientes aos consultórios. Com a regulamentação dos encontros online, ficou mais fácil conciliar a rotina com o cuidado mental. 

Prova disso é que o levantamento da Telavita também detectou uma procura por sessões distribuídas por todo o dia e não somente antes e depois do expediente tradicional, ainda que estes horários concentrem a maior parte das consultas. Um exemplo disso é que 10% dos pacientes têm consultas às 10h, quando normalmente já estariam em seu ambiente de trabalho.

“As pessoas têm conseguido adaptar melhor seus horários por conta do home office e fazer terapia de casa facilitou. Isso ajudou a incluir a rotina de cuidados com a saúde mental na agenda”, finaliza Milene. 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s