Deputado questiona ministro do Meio Ambiente sobre descumprimento do orçamento da pasta

Da Redação

O deputado federal Elias Vaz (PSB-GO) questionou, durante audiência com o ministro do Meio Ambiente, Joaquim Leite, na Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara, o descumprimento, por parte do governo federal, do orçamento destinado à proteção ambiental. O parlamentar apresentou dados preocupantes. De acordo com informações do Sistema Integrado de Planejamento e Orçamento (SIOP), do próprio governo, fornecidos pela assessoria da liderança do PSOL na Câmara, foram aplicados, neste ano, apenas 15,8% dos recursos previstos para o combate a incêndios florestais e 18% do orçamento para fiscalização ambiental.

“Já passou a metade do ano, o correto seria ter no mínimo 50% do orçamento aplicado. Vocês estão esperando gastar isso quando? Depois que começar o incêndio?”, questionou Elias Vaz ao ministro. O deputado também lembrou o assassinato do jornalista Dom Phillips e do indigenista Bruno Pereira e o aumento da violência, fruto da omissão do governo Bolsonaro. “Naquela região, há pessoas praticando atos criminosos e quem se contrapõe a isso é ameaçado e corre risco. Os criminosos se empoderam pela ausência do Estado de fiscalizar e aplicar as leis de proteção ambiental”. 

Números

Segundo o SIOP, o Ministério do Meio Ambiente utilizou até agora somente R$8,3 milhões do total de R$52,7 milhões para combater incêndios. Já o orçamento da fiscalização para este ano é de R$175,2 milhões, mas o governo só aplicou R$31,2 milhões. O índice já foi muito baixo também em 2021, quando o governo usou apenas 40% dos recursos.

“Os dados conseguem ser ainda piores que os do ministro Salles, que abriu a porteira para passar a boiada. O atual ministro conseguiu piorar o que já estava muito ruim. Isso significa que a destruição ambiental é política de governo. A própria postura do presidente Bolsonaro encoraja o desmatamento, a extração de madeira e o garimpo ilegais e a pesca irregular”, afirma Elias Vaz.

Informações do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) revelam aumento de 20% nos incêndios na Amazônia e no Cerrado em relação ao ano passado. Em maio, a Amazônia teve o pior número de incêndios desde 2004, com 2.287 focos. O desmatamento também registra recorde atrás de recorde no governo Bolsonaro. No primeiro semestre deste ano, o desmatamento totalizou uma área de 3.750 km².

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s