TCU abre processo para investigar gastos em duplicidade do governo Bolsonaro

Da Redação

O Tribunal de Contas da União abriu procedimento para apurar gastos em duplicidade do governo federal com contratos e cartão corporativo. O relator será o ministro Antonio Anastasia. A representação é do deputado federal Elias Vaz (PSB-GO), que identificou a irregularidade. “Há despesas informadas na fatura do cartão e contratos firmados pela União para os mesmos serviços. É uma verdadeira farra com dinheiro dos impostos dos brasileiros. Queremos que as contas anuais do presidente sejam rejeitadas e os valores sejam devolvidos aos cofres públicos”, afirma o deputado.

Auditoria do TCU , feita a pedido de Elias Vaz a partir de requerimento aprovado na Câmara, revela que desde o início do governo Bolsonaro gastos cada vez mais altos com hospedagem, alimentação e locomoção nas faturas do cartão corporativo. Jair Bolsonaro costuma alegar que o valor é decorrente de despesas com equipes de segurança em viagens. Mas os militares responsáveis pela segurança de Jair Bolsonaro e do vice, Hamilton Mourão, recebem diárias para pagar o custo de alimentação e hospedagem. Entre janeiro de 2020 e maio de 2022, o valor foi de R$ 10.767.281,13 em diárias, segundo levantamento no Portal da Transparência.

A locomoção também está garantida. O governo pagou entre janeiro de 2020 e maio deste ano R$ 12.154.944,08 à empresa Miranda Turismo e Representações Ltda para fornecimento de passagens. “Se eles recebem a passagem porque o governo tem contrato pra isso, as diárias pra pagar alimentação e hospedagem, como é que os seguranças do Bolsonaro estão inflando o cartão corporativo? Há sérios indícios de que o cartão vem sendo usado pra pagar viagens de lazer, alimentação de luxo e caronas para parentes e amigos do Bolsonaro”, destaca Elias Vaz.

Avião presidencial

Levantamento do deputado federal Elias Vaz mostra que os caroneiros foram muito bem alimentados durante as viagens. Só de janeiro a maio deste ano, o governo federal pagou R$527.059,65 com refeições dentro do avião presidencial.

O contrato 05/2017, com a International Meal Company Alimentação S.A., já custou R$ 1.803.975,89 de 2020 até o mês passado e prevê o fornecimento de refeições prontas (almoço, jantar e café da manhã), bebidas, lanches (salgados e sanduíches), petiscos (castanhas, barras de cereais e frios), frutas, doces e gelo.

O governo também mantém contrato com a Hot Cozinha Industrial LTDA para fornecer refeições aos funcionários e convidados do Palácio do Planalto. De maio de 2020 a maio deste ano, o valor foi de R$ 6.435.199.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s