Entidades e órgãos públicos se unem em prol de revitalização e tombamento do Centro de Goiânia

Da Redação

Em audiência pública promovida pelo vereador Mauro Rubem (PT) na tarde desta quinta-feira (09), na Câmara Municipal de Goiânia, representantes do Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-GO), Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Goiás (CREA-GO), Instituto Federal de Goiás (IFG), Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), secretaria municipal de Cultura (Secult), produtores culturais, agentes de turismo e artistas discutiram a importância da revitalização e do tombamento do Centro de Goiânia, na região em que se encontram construções no estilo Art Déco. O problema, segundo eles, é que o assunto é discutido há mais de 30 anos, mas nunca é feito algo na prática.

Para Gutto Lemes, idealizador da rota turística da arquitetura Art Déco em Goiânia, a valorização das fachadas e dos prédios antigos é o ponto de partida para a revitalização do Centro. “A poluição visual esconde o traçado. O acervo de Art Déco na capital pode ser ainda maior do que temos catalogado por causa disso. O que vem ocorrendo é um descaso do poder público para com o Centro”, analisa.

Renata Lemos, representante do Iphan na reunião, destacou que o Art Déco é importante para a capital sobretudo pelo contexto em que ela foi construída, na década de 1930. “Não é só a estética que importa. Trata-se da história de Goiânia, de sua estrutura diferenciada, da arquitetura moderna”, explica. Já o engenheiro Antônio de Pádua, do CREA, sugeriu que a revitalização do Centro passe pela adequação de prédios abandonados para a moradia popular. Segundo ele, a revitalização não pode ser apenas para garantir a passagem das pessoas pelo local, mas também sua permanência.

A museóloga e jornalista Tânia Maria Quinta de Aguiar Mendonça, superintendente de Patrimônio da Secult, disse que há interesse por parte da secretaria em investir na revitalização do Centro, com destaque para a Praça Cívica. “Existe recurso do BNDES para isso e a população poderá usufruir melhor desse patrimônio.”

O vereador Mauro Rubem considerou a audiência produtiva e analisará as ideias apresentadas. De acordo com ele, há neste ano duas oportunidades para que o Centro entre em discussão na Câmara. “Ainda este mês, teremos a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) e, mais para o final do ano, a Lei Orçamentária Anual (LOA). Nós vereadores temos as emendas impositivas, um valor de cerca de R$ 2 milhões que pode ser destinado, em parte, para a revitalização do Centro.” Mauro Rubem e os demais participantes da audiência decidiram manter diálogo durante esse período, para evitar que o assunto caia em esquecimento. (Foto: Iphan)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s