Dinâmica de aprendizagem exige novas estratégias de ensino e relacionamento nas aulas presenciais

A pandemia da Covid-19 provocou diversas mudanças na vida da população. Uma delas foi a suspensão das atividades presenciais nas instituições de ensino, sendo necessárias adaptações para que o setor da educação prosseguisse com seu cronograma. O essencial para adaptar o ensino foi migrar a dinâmica de aulas para o ambiente virtual. Porém, com a retomada das aulas presenciais, nota-se o impacto desse cenário na educação e a importância da pedagogia pós-pandemia.

A tecnologia tornou-se uma grande aliada – plataformas de aulas online ao vivo, vídeos, jogos virtuais, exercícios digitais e diversas outras ferramentas foram utilizadas durante as aulas remotas. Segundo a professora Luane Aires, do Colégio Simbios, de Goiânia, a modalidade on-line foi uma nova forma de desenvolver a educação incluindo as novas tecnologias. “As famílias e as escolas lutaram para um objetivo comum, em não parar a educação com bons recursos audiovisuais, didáticos e afetivos”, reforça a profissional.

Agora, com a retomada das atividades de maneira presencial, as escolas estão mesclando as práticas pré e pós-pandemia. Os professores trouxeram para a sala de aula presencial alguns aspectos do ambiente virtual, como jogos temáticos, plataformas dos livros didáticos e sites que trabalham todas as áreas do conhecimento com interdisciplinaridade e diversão. Outras práticas como rodas literárias, discussões, assembleias, laboratórios de vida e lanches coletivos são fundamentais no dia a dia, mas não eram possíveis no ambiente on-line. O professor se mostra muito relevante para o equilíbrio desses dois mundos dentro da sala de aula.

Entretanto, ainda há desafios após esse longo período de aulas online, não só para aqueles alunos que já frequentavam a escola, mas também para aqueles que iniciaram durante os anos pandêmicos. Na Educação Infantil, por exemplo, os desafios se voltam ao uso dos materiais compartilhados e a redução da afetividade física, como o abraço e aperto de mãos. Para o fundamental, a construção do vínculo, da socialização, a identidade da classe como um grupo com objetivos comuns e a volta da rotina são impasses.

E para muitas outras crianças, que tiveram a primeira experiência escolar de forma virtual, existem dificuldades de interação e de compartilhar materiais coletivos. Em todas essas situações, o pedagogo é uma figura central para os estudantes, não só para transmitir conhecimento, mas também para criar um ambiente seguro para as crianças e adolescentes.

Dessa forma, é de grande importância a presença constante do pedagogo no contexto pós-pandêmico. “É necessário incentivar aos estudos filosóficos e de laboratório de vida. A escola desenvolve esse papel e devemos estender às famílias”, diz Luana, que dá aulas para o 4º e 5º ano.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s