Em Aparecida, 76% dos internados em UTI com covid-19 estão com esquema vacinal em atraso ou não tomaram a vacina

O avanço da vacinação contra a covid-19 tem se refletido na redução e estabilidade das taxas de internação hospitalar para tratamento da doença em Aparecida de Goiânia. Mas, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) alerta a população sobre a importância de manter a imunização em dia. Segundo levantamento da pasta, na última terça-feira, 25 de janeiro, das 21 pessoas internadas em Unidades de Tratamento Intensivo (UTI´s) da rede pública municipal, diagnosticadas com coronavírus, 16 estavam com o esquema vacinal em atraso ou não eram vacinadas, o que representa 76% das internações. 62% delas já poderia ter recebido a dose de reforço do imunizante, mas não procurou os postos. 13% não tinha recebido nenhuma dose da vacina.

A SMS também identificou que a população idosa permanece como maioria entre as internações em UTI´s para tratamento da covid-19. “71% das internações em unidades intensivas no dia 25 era entre pessoas com mais de 60 anos. Característica que permanece desde o início da pandemia. Contudo, agora, a população tem uma arma poderosa contra o vírus: a vacinação. É muito importante que todos completem o esquema vacinal com a dose de reforço. A terceira dose é fundamental para manter a proteção”, afirma o secretário de Saúde, Alessandro Magalhães.

De acordo com o gestor, o levantamento realizado no dia 25 apontou que 15 idosos estavam internados em UTI para tratamento da Covid-19. Desse total, apenas um ainda não estava apto a receber a dose de reforço e 14 já tinham alcançado o intervalo necessário para recebimento da terceira dose. Contudo, desses, apenas 4 procuraram os postos para completar o esquema vacinal. Ou seja, dos 15 idosos internados, 10 estavam com o cartão de vacina em atraso.

“Esse dado serve de alerta para a sociedade. 93% das pessoas com mais de 60 anos que precisaram de tratamento intensivo em Aparecida, na data analisada, poderiam estar completamente imunes e assim ter menos chances de internação, já que a maioria recebeu a segunda dose em abril do ano passado. Mas, apenas 20% tinha tomado as três doses. 7% tinha acabado de receber o reforço e, por conta do prazo, ainda não estava totalmente imune”, completou o secretário.

Agravamento na população adulta

Alessandro Magalhães detalha ainda que 29% das internações em UTI para tratamento da covid-19, no dia 25, era entre pessoas de 40 a 59 anos: “Foram seis casos nessa faixa etária. Desses, metade não tinha recebido nenhuma dose da vacina. Três deles receberam a primeira e a segunda dose, mas não completaram o esquema vacinal com a dose de reforço, mesmo já tendo alcançado o prazo para tanto. Eles poderiam ter sido imunizados no mês de novembro”. (Foto: Claudivino Antunes)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s