Motorista que matou motociclista atropelado após briga vai a júri 16 anos depois

Denunciado pelo Ministério Público de Goiás (MPGO), Sílvio Martins dos Reis será submetido a julgamento pela 4ª Vara de Crimes Dolosos contra a Vida e Tribunal do Júri de Goiânia nesta quinta-feira (13) pelo homicídio de Luís Sérgio Morais Ribeiro.

O julgamento acontece a partir das 8 horas, no Auditório do Fórum Cível Dr. Heitor Moraes Fleury, no Park Lozandes. O promotor de Justiça Maurício Gonçalves de Camargos representará o MPGO na sessão, que será presidida pelo juiz Antônio Fernandes de Oliveira.

De acordo com a denúncia, oferecida em 21 de fevereiro de 2006 pela então promotora de Justiça Yara Alves Ferreira e Silva, o crime ocorreu na manhã de 19 de outubro de 2005, no cruzamento das Avenidas T-2 e T-42, no Setor Bueno. Sílvio Martins dos Reis estava parado com seu veículo, um VW Polo, em um semáforo, quando Luís Sérgio Morais Ribeiro esbarrou o guidom de sua motocicleta no retrovisor do carro.

A vítima chegou a se desculpar pelo incidente, mas o réu não aceitou e iniciou uma discussão. Quando o semáforo abriu, os dois seguiram em frente. Luís Sérgio estava à esquerda do automóvel e conduziu sua motocicleta para a direita, passando a trafegar próximo do meio-fio. Um pouco mais à frente, como tinha um veículo estacionado, o motociclista desviou e ficou mais à esquerda da pista.

MP apontou colisão proposital do carro com a motocicleta

Segundo a denúncia, neste momento, Sílvio dos Reis acelerou o VW Polo e colidiu, propositalmente, na traseira da motocicleta. A vítima caiu sobre o capô do carro e o motorista passou a fazer zigue-zague na pista, para jogá-la no asfalto. Luís Sérgio não conseguiu se segurar na lataria do veículo e caiu.

Narra a denúncia que Sílvio dos Reis então passou com o veículo sobre a cabeça da vítima e continuou o seu trajeto, sem socorrer Luís Sérgio, para tentar se livrar da consequente responsabilização. Ele foi identificado porque um sargento da Polícia Militar que presenciou o acontecimento anotou a placa do automóvel.

Encerrada a instrução preliminar, houve a desclassificação do crime de homicídio doloso para homicídio culposo. O MPGO interpôs recurso em sentido estrito, que teve parecer do procurador de Justiça Alciomar Aguinaldo Leão. O Tribunal do Justiça de Goiás deu provimento ao recurso e reformou a decisão desclassificatória, para determinar que o acusado seja submetido a júri popular com base no artigo 121 do Código Penal (homicídio doloso)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s