Soldado da Força Nacional é condenado a 17 anos por feminicídio em Jataí

Após sustentação do Ministério Público de Goiás (MPGO) em sessão do Tribunal do Júri em Jataí, na quarta-feira (6), Josimar Pereira Silva foi condenado a 17 anos de reclusão, em regime fechado, pelo feminicídio cometido contra Nathália Lima Costa. 

A sentença também impôs uma multa de R$ 30 mil, a título de reparação de danos morais, uma vez que a vítima deixou uma filha de 5 anos de idade, na época dos fatos. Atuou na acusação o promotor de Justiça Paulo de Tharso Brondi.

O homicídio triplamente qualificado, sendo uma das qualificadoras o feminicídio, aconteceu no dia 9 de maio de 2019, em Jataí, quando Josimar discutiu com Nathália, sua então namorada, por desconfiar que ela o traía. 

Na sequência, pegou um revólver e atirou na vítima, que teve morte instantânea. Depois, se desfez da arma, escondendo-a na geladeira e fugiu. Josimar era integrante da Força Nacional quando cometeu o crime.

Tese de disparo acidental foi refutada pela perícia técnica

No julgamento, o promotor de Justiça contou com o auxílio de peritos técnicos. Eles foram chamados pela acusação para detalhar para os jurados sobre a arma do crime, a reprodução simulada e as lesões sofridas pelos disparos. Assim, a tese da defesa, de disparo acidental, não foi acolhida.

“Importante destacar que cada vez mais o MP deve trabalhar com provas técnicas, pois facilita o trabalho do promotor, uma vez que costumam ser irrefutáveis”, afirma o promotor.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s