Vendedora tem alta após 46 dias internada no Hospital Estadual de Luziânia

Mais um exemplo de superação. A vontade de vencer a covid-19 esteve o tempo todo com a vendedora e estudante de enfermagem Crislainny Almeida, de 28 anos, que retornou par casa após 46 dias internada no Hospital Estadual de Luziânia devido à infecção.

A paciente passou por uma jornada de superação, motivação e alegria nos últimos tempos, quando sua vida mudou completamente. Em 2019, a jovem descobriu que estava grávida. Decidida a dar toda sua atenção à criança após o nascimento, deixou a faculdade de enfermagem, no último semestre, e se tornou vendedora autônoma.

Já em 2021, ela enfrentou um dos maiores obstáculos de sua vida. No início de junho, ela e a família se contaminaram com o coronavírus – inicialmente todos estavam assintomáticos. No décimo segundo dia da doença, a estudante apresentou fraqueza e utilizou o próprio oxímetro para medir a saturação, que estava em 85%.

De imediato, Crislainny procurou auxílio médico na cidade de Alvorada do Norte, onde foi constatada a necessidade de internação e transferência para o Hospital Estadual de Luziânia. Após 24 horas, ela apresentou uma piora considerável no quadro clínico e precisou ser intubada.

Foram 15 dias em respiração mecânica, sessões de hemodiálise e transfusões de sangue na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), mas graças a vontade de viver e a dedicação de todos os profissionais da saúde, Crislayinny respondeu bem ao tratamento. “Foi uma aflição tremenda, mas nunca desistimos, do mesmo jeito que minha irmã não desistiu e nem os profissionais de saúde desistiram de salvar minha irmã”, contou Keilany Almeida, irmã de Crislainny

Com melhora no quadro clínico, a paciente foi transferida para a enfermaria, onde permaneceu por mais 30 dias. Nesse período ela foi monitorada e avaliada constantemente para garantir uma plena recuperação.

No 46º dia de internação, Crislainny recebeu alta e pôde voltar para os braços da família. A saída emocionante contou com a participação do marido, que recebeu a paciente com flores, a irmã e a filha.  “Pensei que não sairia dessa, mas graças a Deus e aos profissionais do Hospital Estadual de Luziânia consegui estou voltando para a casa e para o aconchego da minha filha”, desabafou Crislainny.

Para o Diretor-Geral do Hospital Estadual de Luziânia, Francisco Amud, histórias como a da jovem evidenciam a importância de um hospital de campanha eficiente. “Casos assim mexem com nossos corações. Não consigo imaginar a felicidade dela em voltar para casa juntamente de sua filha. Graças a força de vontade, muita oração e competência de nossos profissionais, pudemos salvar não só a Crislainny, mas toda sua família”, concluiu.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s